A caridade está longe de ser piedade. Gutemberg dos Santos



Falar sobre caridade pode significar dar presentes e demonstrar piedade. Para a maioria pessoas, significa doar o que sobra e se sentir bem consigo mesmos, sem perceber que o fazem mais para acalmar a própria consciência do que fazer o bem aos outros, tornando-os seres egoístas. Caridade não é ter compaixão, mas sim ajudar o outro a enxergar a esperança de obter uma oportunidade de continuar crescendo.
E se nos perguntarmos, neste momento, onde está a caridade em nossas ações? Qual é o seu verdadeiro significado? Na verdade, a caridade é um sentimento ou impulso para ajudar os outros a satisfazer uma necessidade imediata, sem esperar nada em troca. Mas, hoje em dia, a caridade é vazia em nossas vidas. Estamos cercados por pessoas que precisam da nossa caridade, apoio, solidariedade, altruísmo ou qualquer uma dessas ações que ofereçam um compromisso para com os outros.
Tal compromisso foi ofuscado por diferentes distrações as quais somos expostos. Nossa capacidade de nos surpreender tem menos durabilidade e menos impacto em nossas emoções, tendo sido extinta devido a velocidade com que recebemos informações, sem sequer termos tempo
para analisá-las. A indiferença às necessidades da humanidade está aumentando e nós ignoramos que isso nos afeta diretamente, deixando as necessidades comuns que compartilhamos desprotegidas. Um exemplo é o egoísmo que demonstramos com os problemas do meio ambiente e da pobreza. Se contribuirmos para mostrar um desejo de exercer a caridade nessas situações, podemos desenvolver uma consciência e uma visão a mais para pensar nas necessidades prioritárias do ser humano.
Devemos repensar nossas ações e instruí-las para que cada uma delas seja sempre visando encontrar o bem comum. Aqui está o nosso maior desafio como criadores de experiências positivas na vida do outro. Se nós merecemos sucesso, é porque nós vivemos todos os dias interessados em melhorar tudo ao nosso redor. O que as outras pessoas não têm é a inspiração que temos para oferecer o melhor de nós mesmos e contribuir para a construção de uma sociedade com sentido humanitário e sem contratempos para fazer dela uma sociedade melhor. Com isso, podemos fornecer esperança de melhorar as expectativas de ganhar um futuro fundado na caridade, amor, justiça, respeito, liberdade, responsabilidade e tolerância.

Comentarios

Entradas populares de este blog

Viver no passado demonstra uma clara ausência de propósito. Gutemberg dos Santos

Estabeleça acordos e construa pontes sólidas. Gutemberg Dos Santos